MANIFESTO OFICIAL DO POVO PAITER SURUI


Passados 08 dias, contados da realização do 2° turno das eleições majoritárias que culminaram na eleição do Presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, o Povo Paiter Suruí vem a público expressar o seu integral apoio ao governo eleito, ao tempo em que requer das autoridades constituídas o firme empenho na desmobilização dos movimentos golpistas, financiados em prol da manutenção de atividades ilícitas promovidas em terras indígenas.

Nesse contexto, é fundamental salientar que os distúrbios gerados nas vias de circulação, notadamente nas estradas situadas em localidades adjacentes às terras indígenas situadas no interior dos Estados de Rondônia e do Mato Grosso, constituem em si mesmos a mais absurda expressão do velado objetivo de manutenção de garimpo ilegalmente exercido por terceiros, tal como o de contrabando de madeira não autorizada e de arrendamento de terras indígenas para a prática de pecuária extensiva.

Muito longe dos legítimos interesses comunitários, a manipulação de indígenas para contrapor deliberadamente os resultados das urnas e requisitar intervenção militar mediante a obstrução de estradas federais constitui conduta criminosa, atentatória à livre consciência destes indivíduos, agravada pelos ilícitos objetivos econômico financeiros embutidos em seus ideais. Relativamente aos Paiter Suruí, há muito é sabido que o seu sistema de governança institucional vigente veda a manifestação de indivíduos isoladamente considerados, em nome da comunidade, notadamente quando a pretexto de liberdade de expressão, defesa ideológica de pautas governistas ou de autonomia para a gestão do território, objetivam ocultar o intuito de realização de atividades ambientalmente danosas.

Em verdade, estas manifestações têm sido exercidas em absoluta contrariedade à unânime deliberação dos caciques das diversas aldeias que integram a Comunidade Indígena Paiter Suruí, assim também em contrariedade à pública manifestação já realizada pelo Cacique Geral e Vice Cacique Geral do Povo Paiter, eleitos com poderes de representação político institucional, mediante sufrágio direto realizado no dia 17/09/2021.

Dito isto, o Povo Paiter Suruí vem à público repudiar toda e qualquer prática contrária ao resultado das eleições brasileiras, uma vez realizadas e concluídas de forma legítima e transparente, pese embora o assédio vivenciado pelas comunidades indígenas situadas na Amazônia legal, quer seja no período que antecedeu à realização do pleito eleitoral, quer agora, findadas as eleições. Assim posto, é essencial que tanto a FUNAI, quanto o Ministério Público Federal e o Ministério da Justiça e Segurança Pública, em conjunto com as forças de segurança do executivo federal e estadual, passem a agir de forma sistemática e ordenada, no intuito de coibir a artificial proliferação das manifestações realizadas nas estradas adjacentes das terras indígenas situadas nos Estados de Rondônia e do Mato Grosso e identificar os financiadores destes movimentos.

Somente assim, garantir-se-á, na prática, a máxima priorização da rede de proteção socioambiental às comunidades indígenas envolvidas neste trágico cenário, de modo a afastar o ilícito recrutamento de indígenas para infraestruturação de movimentos refratários aos princípios e preceitos norteadores do Estado democrático de direito. Cacoal, 07 de novembro de 2022.


Atenciosamente,


ALMIR NARAYAMOGA SURUI

Líder geral do povo paiter suruí


URAAN ANDERSON SURUÍ

Vice-líder geral do povo paiter suruí


Baixe o documento original aqui

Manifesto_Resultado das eleições_PovoPaiterSurui
.pdf
Download PDF • 165KB




120 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo